Translator Widget by Dicas Blogger

Quer anunciar aqui? Entre em contato: vizinhosdeutero@gmail.com

sexta-feira, julho 12, 2013

Lidando com a gravidez de múltiplos

Quais os cuidados e os desafios das mães que esperam mais de um bebê

Para muitas famílias, a alegria da gravidez vem multiplicada por dois – ou por três, por quatro e, em casos mais raros, até mais de cinco! A gestação de múltiplos é, sem dúvida, um grande evento para qualquer casal. E, como tudo o que é diferente, requer também cuidados específicos. Para começar, qualquer gravidez múltipla – acima de um bebê – é considerada de risco. "O útero humano foi concebido para um feto de cada vez, portanto, o risco de aborto espontâneo e nascimento prematuro são maiores", afirma Edilson Ogeda, ginecologista e obstetra consultor da clínica CordCell, em São Paulo.

As chances de um parto prematuro aumentam conforme o número de gêmeos. Dois irmãos podem até chegar por volta da 38ª semana, o que é considerado um período bom. Mas, em mais de 90% dos casos de trigêmeos ou mais bebês, a gestação é interrompida antes disso. "Por isso, recomendamos que a mãe se prepare para entrar em repouso total a partir da 22ª semana, para tentar prolongar ao máximo o nascimento", diz o médico Arnaldo Schizzi Cambiagli, ginecologista e obstetra do Hospital e Maternidade São Luiz, em São Paulo.

Doenças como diabetes gestacional e hipertensão (pré-eclâmpsia) também são mais comuns, já que o corpo da mulher está sobrecarregado. Aliás, por esse mesmo motivo, a mãe precisa da ajuda de uma nutricionista. "É necessário garantir que o corpo da mulher esteja bem nutrido e ainda controlar as taxas de açúcar no sangue", completa o especialista. Exercícios físicos, embora benéficos, devem ser autorizados pelo obstetra da paciente. Por isso, o acompanhamento da gravidez de múltiplos deve ser feito mais de perto, com mais visitas ao médico – cerca de uma vez por mês até a 27ª semana, e depois de 15 em 15 dias até o final.

Esse monitoramento intenso vai garantir que qualquer doença – até mesmo infecções bobas, como de urina ou vaginal – sejam controladas no início dos sintomas. "A mãe também começa a tomar medicação para que os bebês atinjam a maturidade pulmonar mais rápido, aumentando as chances de sobrevivência depois do parto", completa Arnaldo Schizzi Cambiagli. O processo de nascimento também inspira cuidados. Embora o parto normal seja autorizado no caso de gêmeos duplos, os médicos recomendam a cesárea. "O risco é sempre para os bebês que ficam por último", alerta Edilson Ogeda. Segundo ele, mesmo os gêmeos precisam estar de cabeça para baixo para ser viável. "Acima de dois irmãos, a cesárea é indiscutível", finaliza. (Fonte: Meu Bebê)

Nenhum comentário:

Postar um comentário